Git: introdução

Git básico para principiantes

“Git é um sistema de controle de versão grátis e de código aberto, projetado para gerenciar desde pequenos até grandes projetos com velocidade e eficiência.” – git-scm.com

Git
Git

Git foi inicialmente desenvolvido por Linux Torvalds para substituir o antigo sistema de controle de versão que utilizavam, o qual perderam o direito de utilizar. Para criá-lo passou duas semanas longe do desenvolvimento do kernel Linux, votando sua atenção apenas para encontrar a solução deste problema urgente que encaravam.

Git é bastante complexo e, no início, difícil de entender. Porém aos poucos compreende-se como as coisas funcionam e então passam a fazer sentido.

Por isso veremos uma breve introdução aos comando essenciais e em posts futuros veremos outros recursos.

Para iniciarmos o uso do Git precisamos conhecer três coisas básicas, que veremos neste post:

Criar um repositório.
Adicionar modificações.
Criar um commit.

Requisitos

O Git já foi portado para várias plataformas, como Linux, Mac e Windows.

Para Debian e Ubuntu instale o Git com o comando

# apt-get install git

Para Windows abaixe e instale o binário disponível em git-scm.com.

Mac e outros? Não sei…

Criando um repositório

Crie uma pasta, entre nela e crie um repositório Git.

$ mkdir meurepo
$ cd meurepo
$ git init

Agora a pasta atual é um repositório Git. Verifique seu status com o comando abaixo.

$ git status

Configurações básicas

É importante informar ao Git quem você é, para que ele saiba quem é o autor. Os comando abaixo configuram o nome e o email que serão utilizados como autor.

$ git config --global user.name "Seu Nome"
$ git config --global user.email "seuemail@server.com"

Adicionando modificações

Crie alguns arquivos dentro do repositório e verifique o status.

Agora adicione as modificações de um dos arquivos e verifique o status novamente.

$ git add ARQUIVO

Este comando copia os arquivos citados para o índice do repositório. No índice ficam os arquivos cujas modificações foram aceitas.

Utilize o comando abaixo para adicionar todas as modificações presentes na pasta atual. Então de novo verifique o status.

$ git add .

Criando um commit

Depois de adicionar modificações ao índice podemos criar um commit!

Um commit é um pacote de arquivos que caracteriza o estado atual do índice.

Ao criar o commit o repositório armazenará o estado atual do índice, de forma que ele possa ser restaurado.

Crie um commit com as modificações que acabou de adicionar ao índice.

$ git commit -m "Meu primeiro commit!"

A mensagem do commit é muito, muito importante. Ela deve esclarecer o que foi modificado desde o último commit.

Verifique o log de commits com o comando abaixo (use “q” para sair).

$ git log

Crie e modifique os arquivos, veja o status, adicione alterações ao índice e crie novos commits. Então veja o log.

Repita.

Concluindo

Dica: Há um utilitário visual muito útil chamado gitk, que mostra a árvore formada pelos commits.

Com os poucos comandos introduzidos já é possível gerenciar um projeto simples, especialmente se estiver trabalhando sozinho. Veremos mais recursos em um futuro próximo.

Pois então, se você usa e gosta do Git, espalhe a palavra e compartilhe com seus amigos!

 

Djones

1 pensamento em “Git: introdução”

Deixe uma resposta